31 de maio de 2011

O Andar de Cima - Parte 5

(O Andar de Cima é um conto dividido em capítulos. Trata-se de uma Grandiosa e Simples revelação que me foi dada pelo Senhor. Para ler as Partes 1,2,3 e 4, abaixe a tela!)

Eu me esforço até hoje, mas acho que jamais conseguirei me lembrar de quanto tempo durou aquele abraço e nem de quantas lágrimas derramei. Conversamos sobre desilusões antigas, portas que se fecharam, sonhos que morreram.

Dividi com o construtor da escada a dor que cada degrau havia causado em minha vida. Quando terminei, meus olhos estavam inchados, mas minha alma estava leve.

- A maior bênção que as pessoas podem receber para seu futuro é a cura do seu passado. - Disse Jesus, sorrindo para mim. - Cada degrau é difícil de se subir, mas vale a pena quando se chega até aqui. Agora você sabe disso por experiência própria, filho. Sabe que as lutas não se comparam à minha Presença.

Eu concordei, recostando a cabeça em seu peito. Naquele momento eu não era mais um homem, mas sim uma criança, que acabara de nascer.

Permanecemos em silêncio por algum tempo, até que me lembrei de mais uma questão que me intrigava.

- Jesus, por que havia um cadeado enorme na porta? E por que ele caiu assim que o toquei?

Jesus ergueu as sobrancelhas, como se estivesse se lamentando por algo. Permaneceu pensativo por alguns instantes, até que falou:

- Você o tocou. Como eu gostaria que todos fizessem isso...

Eu não consegui compreendê-Lo, mas já o conhecia o suficiente para saber que Ele ainda não havia terminado.

- Arthur, a Porta que leva a humanidade até a Mim está sempre aberta. Eu a abri ao morrer por vocês. Ela deveria estar trancada, por culpa de sua natureza pecadora, mas eu paguei o preço para que ela pudesse ser aberta. Você mesmo a abriu e sabe que ela não está trancada...

- Mas por que o Senhor não tira o cadeado de lá? - Por um momento me iludi, pensando ser capaz de aconselhar meu Criador. - Eu quase desisti de abri-la, pensando que estava trancada. Muitos devem desistir, o Senhor deveria tirar o cadeado...

Jesus me encarou com compaixão e apresentando um sorriso de quem sabe das coisas.



- Não fui eu quem pôs aquele cadeado lá, Arthur. Foi Satanás quem o fez, deixando bem clara a diferença entre nós dois. Enquanto meu Poder é Ilimitado e eu ajo, tomo atitudes e abro portas, ele, sem nenhum poder, tenta iludi-los com falsos cadeados. Eu sou o Mestre da Ação, ele é o senhor do ilusionismo. Como você viu, seus cadeados são falsos, ocos e sem força. Possuem apenas aparência...

- Infelizmente, agimos de acordo com a aparência na maioria das vezes... - Eu disse em voz alta, pensando em mim mesmo e naqueles que conhecia.

- Exatamente. - Concordou Jesus com voz triste. - Vocês se guiam por circunstâncias momentâneas, mentiras, estigmas e rótulos. Deixam de abrir a Porta por pensarem estar trancadas. Por exemplo, muitos pensam que precisam melhorar para poderem vir a Mim, quando na verdade é vindo a Mim que irão melhorar! É isso que os Cadeados fazem: Afastam as pessoas de mim, pois elas dão crédito a eles.
 Os cadeados de Satanás são obstáculos que ele põe no caminho daqueles que desejam vir ao Andar de Cima. Ele fez isso com Adão e Eva e o faz até hoje. Ele sabe que não pode me impedir de colocar minha escada e sabe que não pode impedi-los de abrir a porta, então ele tenta iludi-los no caminho, colocando Cadeados à sua frente. Entende, Arthur?

Sim, eu entendia. Comecei a me recordar de cadeados que paralisaram minha vida por tanto tempo. O cadeado da baixa auto-estima, que me enchia de timidez. O cadeado da culpa, que não me deixava pregar. O cadeado da vergonha, que me isolava em meu próprio mundo, e muitou outros, que eu agora descobria serem apenas ilusões.

- Tudo que vemos com nossos olhos humanos é uma grande mentira... - Pensei em voz alta.

Jesus concordava com a cabeça, olhando para mim.

- Esta é uma descoberta maravilhosa, Arthur. Todos os cadeados são feitos de fumaça. Não têm poder nenhum se você tocar na maçaneta da porta. Um ato de fé os derruba, pois eles não resistem à verdade.
A Batalha pela sua Alma, filho, ocorre entre um Salvador e um Mentiroso. O Salvador, que sou Eu, agiu, lutou, sofreu e venceu por você. Já o Mentiroso é apenas um inútil que se finge de forte, tentando te cegar.
Olhe lá para fora e você verá a diferença entre nossas personalidades. Ele está lá, com multidões, fazendo barulho, tentando te impressionar. Eu, porém, o anulo com um simples vidro. Ele trabalha com imagens, eu trabalho com ação.

Eu refleti sobre aquelas palavras e digeri aquelas verdades. Cheguei então à uma conclusão muito falada e cantada, porém pouco sentida.

- Eu sou livre. - Disse em voz alta. - Eu sou liberto.

- Você e todos os outros... - Disse Jesus, com mais um sorriso.

Sorriso de quem havia cumprido sua missão.

CONTINUA...

1 Entre 6 Bilhões


"Porque povo santo és ao Senhor, teu Deus; O Senhor te escolheu para que lhe fosses o seu povo próprio, de todos os povos que sobre a terra há."
Deuteronômio 7:6

Neste exato momento, enquanto você lê estas palavras, mais de seis bilhões de pessoas estão espalhadas sobre a terra.

Seis bilhões. 6.000.000.000 de Almas.

Muitos são mais ricos do que você, outros são mais pobres.
Alguns ainda estão solteiros, outros casados.
A maioria estudou menos do que você, mas há gênios por aí.

Loiros ou morenos, brancos ou negros...

Algumas vezes, quando estou em ônibus lotados, fico a observar pessoas entrando e descendo e penso:

"Não sei nada sobre a vida dessas pessoas! Quantas choraram ontem? Quantas estão felizes? Quais são seus sonhos e frustrações?"

Vista uma camisa do Flamengo e vá ao Maracanã e você se sentirá apenas "mais um". Leia, porém, Deuteronômio 7:6 e você descobrirá que é Único.

Este é o recado de Deus: Em meio à multidão, Ele olha para você. Em meio à muitos, você é único.

"Vocês são um povo santo para o Senhor! Ele os escolheu entre todos os povos da terra!", nos diz o versículo.

Todos. T - O - D - O - S



Dos índios da Amazônia, passando pelos alemães, esquimós, orientais e africanos. Da mais nova criança da Argentina à velhinha cansada da Sibéria, Deus escolheu você.

Escolheu a mim, escolheu a nós. Deus escolheu seu povo.

Não foi você quem quis conhecê-lo(a), mas foi Ele que decidiu vir até você. Ele te amou primeiro.

Defina-se em uma palavra: Escolhido(a).

Deus está tomando conta dos conflitos do Oriente Médio, mas se preocupa igualmente com a sua prova de matemática.

Deus criou bilhões de galáxias, mas também moldou cuidadosamente o seu rosto.

Deus poderia ter selecionado alguns mais corajosos, inteligentes e ágeis, mas preferiu você.

Você só está lendo estas palavras porque para estar aqui. Bilhões de pessoas não se interessariam por este Blog, mas você está aqui porque faz parte do meu Povo.

Somos propriedade d'Ele.

Talvez o menino por quem você orava te deu um fora.
Talvez seus pais não acreditem em seu sucesso.
Talvez você não tenha orgulho de si mesmo.

Deus, porém, te escolheu entre todos os mais de 6.000.000.000!

Ele não olhou para suas qualidades (Ele está acima delas!), não mediu seus defeitos (Ele morreu por eles!) e tampouco se importou com sua aparência (Ele te acha lindo!).

Ele viu apenas seu coração e decidiu investir.

O Preço? Seu Sangue.

O Prêmio? Vestir a camisa da Seleção dos Salvos.

No nosso time não jogam os mais capazes ou mais eficientes. Somos simplesmente escolhidos.

Somos apenas um povo que foi visto antes de ver, foi amado antes de amar e foi salvo sem merecer...

Pensamento de hoje: "Deus me escolheu e isso me basta!"

30 de maio de 2011

O Andar de Cima - Parte 4

Para entender este Post, abaixe a tela e leia as Partes 1, 2 e 3

Eu encarei o vidro por mais alguns instantes e comecei a andar em círculos pelo andar de cima, enquanto Jesus voltou a se sentar na poltrona, como se soubesse que eu necessitava de algum tempo e espaço naquele momento.

A cada passo, eu tentava digerir da melhor forma possível cada uma das Verdades Grandiosas que já me haviam sido reveladas. Minhas mãos ora percorriam meu queixo, ora se apoiavam em minha cintura.

Eu ainda estava chocado e paralisado ante a revelação de todos os erros e falhas que eu havia cometido durante toda a minha vida, mas sentia uma felicidade ainda maior com a satisfação de finalmente saber a Verdade.

Eu era um sobrevivente de um acidente, ainda assustado com a batida do carro, mas feliz por estar vivo.

O Verdadeiro Silêncio envolvia a atmosfera. Fiz a primeira das muitas perguntas que ainda estavam no ar:

- Por que toda a casa era tão bela, mas a escada era feia e assustadora? E, por que a escada estava ali, já que fomos eu e Satanás que construímos a casa, e não o Senhor?

Jesus sorriu novamente e eu pude vislumbrar mais uma de suas facetas. Ele se parecia com um Amigo, prestes a compartilhar comigo uma travessura.

- Eu vou responder, mas posso te pedir algo antes? Sente-se aqui comigo, gosto de proximidade.

- Claro. - Respondi, assustado com o fato de meu Criador me pedindo alguma coisa. Sempre imaginei a Deus como um receptor de pedidos, mas nunca como um Ser que possuía seus próprios desejos.

Eu atendi ao pedido e me sentei ao seu lado. Imediatamente, senti toda a bolha de felicidade que envolvia minha alma se encher ainda mais. Jesus, o leitor de corações, entrou em ação mais uma vez:

- A sensação é bem melhor ao meu lado, não é? É uma pena que muitos insistam em andar em círculos pela vida ao invés de simplesmente sentar-se ao meu lado...

Eu concordei com a cabeça, consciente de que eu mesmo vivia daquela maneira. "Não mais.", pensei. "Não serei mais o mesmo".

- Bem, filho, vamos às respostas. - Jesus interrompeu meus pensamentos, sorrindo. - Suas perguntas foram feitas fora de ordem, por isso vamos começar pela segunda.



Ele se virou para mim e olhou em meus olhos, repetindo a minha pergunta.

- Por que havia uma escada ali, se não fui Eu que contruí a casa? Acho que a melhor resposta que tenho é uma outra pergunta: Existe alguma construção na qual eu não possa entrar?
 Arthur, toda alma é uma casa, e em todas, eu pus minhas escadas. Muitos mobiliam a casa sozinhos ou permitem que Satanás os ajude, mas não podem mudar o fato de que a propriedade é minha. Toda casa tem uma escada que os leva ao andar de cima e todos podem subir assim que quiserem.
 A Mim foi dado todo o Poder. Não "quase todo", mas Todo. Até seus piores erros e mais fracassados planos são meus. Minhas escadas estão em todas as casas, até nas mais sofisticadas e funcionais.

- Mas, Jesus, eu conheço ateus, incrédulos e pessoas completamente resistentes ao Evangelho. Há escadas na casa deles?

Há. - Jesus acariciou meu rosto. - Eles não sobem, mas a escada está sempre lá! Claro que eles estão ocupados demais deleitando-se com o andar de baixo para prestarem atenção na escada. Muitos não a enxergam com clareza, outros decidem não subi-la, mas todos sabem que ela está lá.

- Todos? - Duvidei. - Não existem pessoas que consigam criar uma vida independente do Senhor? Pessoas que realmente pensam que o Senhor não existe?

Jesus afastou a hipótese, abanando as mãos.

- Arthur, viver sem mim é como fazer um "gato" na luz elétrica. As coisas funcionam, mas a conta vem adulterada. O dono se sente vencedor, quando na verdade está enganando a empresa geradora de energia.
 O andar de baixo é lindo e eficiente, mas não é o bastante para ninguém. Ele é como o "gato" da luz. Beneficia, funciona e alegra, porém não é verdadeiro. No fundo de suas almas, todos ouvem a minha Voz, embora muitos permaneçam lá embaixo.

- Então por que o Senhor não as ajuda a subir? - Perguntei, não em tom de cobrança, mas de dúvida sincera. Pensava nas pessoas que eu amava e que ainda estavam "lá embaixo". Queria que todos experimentassem o que eu estava sentindo.

Vi lágrimas brotarem dos olhos de Cristo e escorrerem lentamente quando Ele me respondeu:

- Eu as chamo, Arthur. Convido a todos insistentemente, assim fiz com você. Infelizmente, não posso descer novamente para buscá-las. Já fiz isso uma vez, entrando num ventre humano e morrendo por eles. Agora, o que posso fazer é chamá-los pelo nome, dizer que estou aqui, e esperar que subam.
 Não quero ser amado por obrigação, mas por escolha. Essa é a parte mais dolorosa do Verdadeiro Amor: Permitir que a pessoa amada não te corresponda, se não quiser. O que te garanto é que eu vivo chamando a todos e nunca desisto de ninguém, até o último instante.

- Eu amo ser amado por Você, Jesus. Obrigado por ter me chamado. - Lancei-me em direção aos seus braços e Ele me abraçou, sorrindo muito.

- Isso é tudo que Eu preciso ouvir das pessoas! Nada de orações imensas ou regras complicadas. Apenas confissão e amor...

Ficamos em silêncio por alguns momentos e imaginei em quantas milhões de pessoas Jesus estaria pensando, enquanto via seus olhos derramarem lágrimas que eram refletidas pelos vidros das janelas.

- Bem, vamos à minha primeira pergunta? - Perguntei, com um sorrisinho tímido.

- Vamos. Você me perguntou porque toda a casa era bela, mas a escada que trazia até Mim era tão "feia e assustadora" em suas palavras.

- Desculpe. - Murmurei, envergonhado com as palavras que havia utilizado.

Jesus ajeitou-se na poltrona e segurou minhas duas mãos.

- A descrição foi correta, filho, e esta é uma das partes mais difíceis de se explicar. Você viu o quanto o Andar de Cima é lindo, então deve se perguntar porque o caminho até ele é tão árduo. Todos se fazem esta pergunta...
 A resposta para ela tem a ver com a minha Glória. Tenho um compromisso com ela, filho. Todos vocês foram criados para refletir a minha Glória. Pus minha Igreja no mundo para que o mundo fosse transformado por ela! E é através de suas lutas, através de suas vitórias difíceis, que o mundo vem até mim.

- Então... - Comecei, mas Jesus não precisou que eu terminasse a frase.

- Sim. Uma escada linda e simples não chamaria a atenção de ninguém. Uma escada tenebrosa, porém, faz as pessoas pararem para te olhar. Sei que cada degrau é difícil, Arthur, mas continue a subir...

Eu chorava, percebendo que a escada representava todas as lutas que encontrei em minha caminhada com Cristo. Perseguições, portas fechadas, enfermidades, dificuldades...

Jesus me abraçou e, juntos, recapitulamos cada "degrau" da minha vida até ali. A cada trauma compartilhado, Jesus, chorando comigo, apenas dizia:

- Eu estava lá, Arthur. Eu estava lá...

Manequim GG

"Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus"
Efésios 2:8

"Aquele, porém, que se gloria, glorie-se no Senhor"
2Coríntios 10:17


Ontem eu simplesmente não conseguia escrever no Blog.

Minha mente parecia bloqueada, as palavras não vinham e eu me angustiava cada vez mais.

"Poxa, como nossos seguidores ficarão sem uma palavra?", eu me desesperava.

Frustrado, desliguei o computador e liguei para minha Princesa, contando-lhe o que ocorria.

Ela me fez apenas uma pergunta:

"Amor, de quem é o Blog?"

"Do Senhor.", respondi, já envergonhado.

Senti Papai piscar para mim lá de Cima. Eu estava tentando dominar algo que não é meu.



E foi então que ouvi o Espírito me falar:

"Arthur, você só escreve pela minha Graça. Agarre-se cada vez mais a ela e cada vez menos a você..."

Graça.

A palavra que nos faz lembrar de que tudo é d'Ele e não nosso.
A palavra que nos devolve nosso verdadeiro papel no mundo: Agraciados.
A palavra que nos tira do volante da vida, colocando-nos no banco do carona, com o cinto de segurança bem apertado.

Hoje, compartilho com você o primeiro conselho que Deus me deu: Nunca se esqueça da Graça!

Não tente vencer por suas próprias forças.
Não pense estar sozinho.
Não leve cargas que não pode suportar.

Eu ainda estava nocauteado por esta Verdade, quando ouvi outra:

"Arthur, você só escreve para a minha Glória. Diminua-se cada vez mais e deixe ela crescer..."

Glória.

A palavra que resume o propósito de todo esse mundo agitado que nos cerca: Glorificar a Deus.

Dar a Glória de nossos atos a Deus é permitir que Ele receba os aplausos que não são nossos.

Vislumbrar que tudo gira em torno da Glória de Deus é enxergar que cada uma de suas lutas faz parte de um grande propósito.

"Pela Graça e Para a Glória...", uma bela dupla, não é?

A primeira te lembra de quem você é, e a segunda te lembra de para quem você trabalha.

Deixe sua vida ser dominada por ambas...

A Graça respaldará tudo o que você fará.
A Glória te abraçará quando Ele, através de você, prosperar.

A partir de agora, quando perguntarem meu manequim, responderei:

"Meu corpo veste M, mas meu espírito veste GG!"

GG - Graça e Glória
Graça: A cura para o passado.
Glória: O propósito para o futuro.

Que as duas possam vestir a nossa Alma!

29 de maio de 2011

O Andar de Cima - Parte 3

PARA ENTENDER ESTE POST, ABAIXE A TELA E LEIA AS PARTES 1 E 2

Jesus permaneceu me encarando ternamente por alguns segundos, antes de continuar:

- Filho, analisando calmamente, o que você diria que mais te atraiu na casa? - Ele me perguntou.

Refleti sobre a questão e tive o impulso de responder que foram os livros e a comida, mas novamente, Jesus pareceu ler meus pensamentos e me interrompeu.

- Não responda baseado nos sentidos do seu corpo, mas nos do seu coração.

Ele olhou nos meus olhos e instantâneamente percebi a resposta correta. A segurança doce que eu senti lá embaixo, aquele bem-estar aparentemente sem fim e aquela paz de espírito tinham origem no...

- O silêncio. - Respondi, enquanto simultâneamente dava-me conta daquela realidade. - O que mais gostei foi do silêncio. Lá embaixo era muito tranquilo e isso me trazia paz...

Jesus utilizou mais um de seus sorrisos. Este se parecia com o de um professor ouvindo um aluno chegar a uma brilhante conclusão.

- Exatamente, o silêncio. Você não lida muito bem com o barulho, não é?

Percebi que a pergunta era retórica e não respondi.

- Você teme o que há lá fora. - Disse Jesus, apontando para o caos de água, morcegos e pedras que continuavam a bater nos vidros. - Você prefere esconder a alma em uma casa sem janelas para que não precise encarar a realidade.

A cada palavra ouvida, um par de algemas parecia se quebrar dentro de mim. Parte do meu eu desejava ardentemente falar, expôr ou acrescentar algo, mas sucumbi ao desejo de simplesmente ouvi-Lo.

Recostei a cabeça na poltrona e me rendi. Sabia que havia mais algemas que precisavam ir ao chão.

Jesus assentiu com a cabeça antes de continuar a falar, como se naquela fração de segundo em que relaxei, Ele houvesse lido minha decisão e concordasse a respeito.

- Arthur, note uma coisa muito importante: A chuva, os morcegos e as pedras estavam rodeando a casa o tempo inteiro, embora só aqui em cima você possa vê-los e ouvi-los. A casa utilizava-se do silêncio para te enganar, dizendo que tudo estava bem lá fora, quando na verdade não estava.

- Mas, Jesus, não é bem melhor viver assim? - Percebi que há muito tempo, antes mesmo de ser levado à Casa, queria fazer aquela pergunta. - Eu não gostaria de ver e ouvir essas coisas horríveis. Preferia estar no silêncio da casa, descansando no Senhor.

Tive medo de que se irritasse com aquela pergunta, mas senti Amor irradiar através de sua resposta:



- Descansar em mim não é fugir dos problemas, Arthur, mas é fazer exatamente o contrário. É encarar os problemas confiando mais no meu Poder do que em seus efeitos. O verdadeiro descanso em Mim envolve duas faces: Paz além do entendimento e Coragem para combater as trevas. Isso é completamente diferente de se sentar em silêncio, não é?

Não foi difícil para mim fazer uma retrospectiva e ver de quantos problemas fugi enquanto mentia para mim mesmo, dizendo estar "descansando no Senhor".

Percebi que preferi viver em silêncio, enquanto a chuva continuava a cair do lado de fora. Jesus ainda me encarava com uma divertida compaixão.

- E, quanto à sua pergunta, realmente é bem melhor viver no silêncio da casa. - Ele me disse, erguendo as sobrancelhas. - É mais cômodo. Assim como teria sido mais cômodo se eu tivesse morrido velhinho, curando milhares de pessoas, ao invés de enfrentar a Cruz e curar toda a humanidade.

Uma lágrima rolou pela minha face e eu só consegui murmurar uma palavra:

- Desculpe.

- Está perdoado. - Respondeu-me o Mestre. - O Falso Silêncio que Satanás oferece persegue toda a humanidade, Arthur. E perseguiu a Mim também. Podemos fingir que tudo está bem e viver segundo o nosso coração ou podemos crer que tudo ficará bem e viver segundo o coração de Deus...

Mais algemas se quebraram. Como eu pude me esconder por tanto tempo ao invés de lutar? Como pude ser cego ao invés de enxergar?

- Cegueira. - Concordou Jesus. Sabia que ele dialogava com minha alma, sem que eu precisasse abrir a boca. - É exatamente isso que o Falso Silêncio causa. Te trouxe ao andar de cima para te mostrar que a vida em minha Presença possui paredes de vidro.

Olhei novamente para a confusão lá fora e repentinamente comecei a entender o que tudo aquilo significava. Sem que eu precisasse perguntar, Jesus me respondeu.

- Sim. A chuva representa as suas falhas, que ininterruptamente batem à sua porta, lembrando-o de erros passados. As pedras representam algumas pessoas, que sempre tentarão "quebrar o vidro" dos seus sonhos, proclamando palavras negativas. E, quanto aos morcegos, eles são os demônios que vivem ao seu derredor, clamando por seu sangue.

Eu me levantei da poltrona, levei as mãos à boca e observei mais atentamente a chuva, lembrando de todos os erros que me perseguiam. Vi uma grande pedra e pensei nas críticas que me desanimavam. Olhei nos olhos de um morcego e percebi pela primeira vez o tamanho do ódio que o Inferno nutria por mim.

Após um momento que pareceu-me uma eternidade, Jesus se levantou e pousou as mãos em meus ombros, seus dedos me massageando.

- Eu tenho o Verdadeiro Silêncio, Arthur. Foi o que você sentiu quando eu te toquei. Todos eles - Pude captar o desprezo em sua voz, enquanto sussurrava em meu ouvido, apontando para fora. - estão lá, "fazendo barulho" e tentando chamar sua atenção. Mas se você estiver ao meu lado, não escutará nada. Eles continuarão lá, mas não poderão te afetar. Isso é descansar em Mim. A grande questão aqui é: "Você tem se rendido a qual Silêncio?". Você tem fechado as janelas da alma ou encarado seus problemas pelo vidro?

Eu não tive palavras para expressar o que sentia naquele momento. Simplesmente não sabia o que dizer ao ver a batalha em torno de minha alma através de uma janela. Era uma visão grandiosa, mas essencialmente simples. Havia uma disputa, onde o prêmio era eu.

- Agradeço em nome da humanidade por ter criado a Terra. - Murmurei. - O "Mundo Espiritual" é muito feio, não aguentaríamos enxergá-lo assim...

Ouvi Jesus rindo ao meu lado. Sorriso de irmão mais velho.

- Ele é feio se vocês olharem para fora, mas, acredite, esse vidro inquebrável é lindo e é muito mais importante do que o resto. Aprenda a enxergar aquilo que realmente importa...

CONTINUA...

Eu + Lutas = Crescimento


"... multiplicai-vos ali e não vos diminuais."
Jeremias 29:6

Os israelitas chegaram na Babilônia e decidiram nem desfazer as malas. Com certeza Deus os tiraria de lá imediatamente.
 
Eles haviam sido levados como prisioneiros. Tirados de sua terra, arrancados de suas casas, afastados de suas raízes.
 
Não pense, porém, que estavam numa vigília quando foram capturados. Eles não oravam mais.
 
Tampouco dedicavam suas vidas ao Senhor, ofertavam suas posses ou consagravam seus corações.
 
Eram idólatras, infiéis e desonestos, mas ainda assim acreditavam que Deus os livraria daquele cativeiro.
 
Até que Jeremias escreveu uma carta, ditada pelo Senhor. Não, Ele não os tiraria dali imediatamente.
 
Deus avisou que passariam 70 anos ali e lhes deu alguns conselhos:
 
"Construam uma casa, plantem pomares, casem-se e orem por essa terra. Vivam como vocês viviam quando estavam em Israel."
 
E, em meio a estes conselhos, Deus diz a frase-tema do Post de hoje:
 
"Multipliquem-se aí e não se diminuem!"
 
"Cresçam em meio à tragédia", foi o conselho do Senhor para seu povo.
 
Este é o mesmo conselho que Ele nos dá hoje.



Qual é a "Babilônia" que tem tirado a sua Paz?

O fim de um namoro.
Uma demissão.
Uma tragédia.
Uma dúvida.

Você anda ansioso, querendo sair de lá imediatamente, com a "mochila" ainda nas costas, sem pensar na hipótese de que sua permanência lá seja um grande propósito de Deus.

Hoje, Deus nos dá uma boa e uma notícia.

A má notícia é que nosso problema pode não acabar hoje.

A boa notícia é que Deus o usará para Sua Glória e deseja o nosso bem.

A segunda notícia é infinitamente superior à primeira, não é?

"Tenho pensamentos de paz e não de mal, para dar a vocês o que desejam!", nos diz o Senhor em Jeremias 29:11

Para isso, porém, precisamos nos multiplicar e não diminuir.

Crescer na terra da aflição.

Plantar flores em meio aos espinhos.

Encher de lágrimas um manancial de fé.

Receba esta Verdade: A sua "Babilônia" não importa! Seja lá qual for seu problema, Deus é muito maior do que ele. O que importará é a sua conduta durante o problema.

Orações ao invés de murmurações.
Alegria ao invés de amargura.
Paz ao invés de medo.
Multiplicação ao invés de subtração.

Seus problemas não precisam desaparecer para que sua vida mude! Transforme-se por dentro e você se preocupará cada vez menos com o que está lá fora.

Quando Satanás pensar que você vai socar a terra, "plante uma árvore".
Quando Satanás pensar que você vai amaldiçoar a vida, "construa uma casa".
Quando Satanás pensar que você diminuirá, multiplique-se.

Surpreenda o Inferno e faça o Céu cantar em meio às provações

Deus ainda procura por israelitas que lhe sejam fiéis em plena Babilônia...

28 de maio de 2011

O Andar de Cima - Parte 2

PARA ENTENDER ESTE POST, ABAIXE A TELA E LEIA A PARTE 1!

Ao contrário da casa, que não possuía janelas, o andar de cima possuía paredes de vidro, revelando o que havia lá fora.

E o que eu via me assustou de tal maneira, que não conseguia dar sequer um passo, e encostei-me à parede.

Os vidros revelavam que uma grande tempestade caía. As águas batiam fortemente contra o andar de cima e eu não me surpreenderia se os vidros se espatifassem a qualquer momento. A completa escuridão do lado de fora só era quebrada pelos raios.

Eu, particulamente, preferia que não houvesse raios, pois sua luz revelava coisas ainda mais terríveis. O andar de cima estava rodeado por centenas de morcegos negros, que se lançavam contra os vidros, tentando entrar. O barulho era ensurdecedor e eu não pude deixar de notar que a maioria dos morcegos trazia sangue em suas presas.

Como se essa visão não bastasse, algo ou alguém estava lançando grandes pedras que batiam nos vidros com estrondo. Não tive dúvidas: Aqueles vidros se quebrariam e eu me veria sozinho em meio à chuva, aos morcegos e às pedras.

Eu havia caído numa armadilha! Comparado com o silêncio da casa de baixo, o andar de cima, com seu barulho da chuva, o uivo dos morcegos e as pancadas das pedras, era o verdadeiro Inferno!

Tateei a parede com os cotovelos, enquanto tampava os ouvidos com as mãos, em busca da porta pela qual entrara, ansiando em descer as escadas novamente, quando A Voz me chamou.

- Filho, fique calmo.

Olhei para trás, mas antes que verdadeiramente O visse, O senti. Sua mão tocou meu ombro e instantâneamente o barulho cessou.

A chuva continuava a cair, os morcegos ainda estavam lá e as pedras ainda batiam nos vidros, mas um novo siêncio começou a reinar. Se eu descrevi o silêncio da casa como acolhedor, não sei qual palavra utilizar para descrever o silêncio que experimentei.

Gradualmente, as batidas do meu coração se acalmaram e eu me virei para trás, buscando ver quem estava tocando em meus ombros, embora já o soubesse.

- Senhor? - Perguntei.

- Sim, Arthur, sou eu. - Jesus me respondeu, sorrindo.

Eu sorri de volta e abri a boca, mas antes que eu pudesse pronunciar algo, Ele me puxou pela mão.

- Já responderei a todas as suas dúvidas, filho, mas podemos nos sentar? Temos muito o que conversar...

Ele me conduziu gentilmente pela mão até uma poltrona no centro do local. Ela era tão grande, que nós dois nos sentamos confortavelmente.

Olhei para os vidros que cercavam a poltrona e tentei fazer uma piada.

- Não é uma vista muito bela, não é? -PEeguntei

Jesus passou a mão pelos meus cabelos e me respondeu, como se estivesse respondendo à uma questão boba, feita por uma criança.

- Talvez não seja bela, mas é fundamental.

Ele se vira para mim, ainda com um sorriso divertido, debruça a cabeça nas costas da poltrona, e me desafia:

- Pode começar, filho. Pergunte-me o que quiser.

As dúvidas eram tantas, que nem soube por onde começar. Escolho a pergunta mais óbvia:

- O que é a casa lá embaixo?

- Você deveria saber, já que foi você quem a construiu.

- Eu?!

Jesus sorriu compassivamente, embora eu pensasse estar notando um toque de tristeza em seus traços.

- Sim, você. Embora tenha tido uma grande ajuda, é claro.

- Ajuda de quem? Do Senhor? - Perguntei, feliz e pensando ter compreendido tudo. A casa provavelmente era o Paraíso!

- De Satanás. - Respondeu-me Jesus, olhando para mim com olhos lacrimejantes e dilacerando-me a alma.



Ficamos em silêncio por alguns segundos, até que eu reuni forças para perguntar:

- Por que Satanás construiria para mim um lugar tão bonito?

- Filho, há dois erros nesta pergunta. - Disse Jesus, enquanto voltava a acariciar-me os cabelos. - Primeiramente, você e a maioria das pessoas imagina que Satanás se apresentará a vocês como um monstro ou como uma criatura com rabo e dentes afiados. Essa é uma visão muito errônea e limitada. Embora ele realmente seja horrível hoje em dia, conservou o poder de ser belo, como era outrora. Eu escrevi isso em 2Coríntios 11:14, todos deveriam saber.

Eu o ouvia atentamente e pensei em interrompê-lo, mas sabia que Ele ainda não havia terminado. Portanto, continuei em silêncio, à espera de mais explicações.

- Filho, o fato da casa ser bonita não quer dizer que ele não tenha se envolvido. Ele é especialista em camuflar maldições atrás de bênçãos. Entendeu?

- Entendi, Pai.

- E você cometeu outro erro ao dizer que ele construiu a casa para você. Eu lhe disse que ele havia contruído com você. Muitos de vocês dão a Satanás poderes que ele não tem. Ele é fraco demais, e não pode controlar a sua vida, que é minha. Tudo que ele faz para te destruir, ele faz com a sua ajuda! Sem você, ele nada pode fazer. Ele se utiliza das brechas de seu coração para te afastar de mim.

Eu pude perceber a compreensão entrando em meu espírito, como um objeto que sempre esteve à minha frente, mas que eu eu nunca consegui enxergá-lo.

- Então, o que é a casa? - Perguntou o novo Arthur, aquele que enxergava.

Jesus não tirou os olhos de mim, enquanto uma lágrima escorria-lhe pela face. O Deus que chorara diante do túmulo de Lázaro estava chorando mais uma vez.

- A casa é o que Satanás deseja que seja a sua Alma. Uma Alma voltada apenas para si mesma, focada em prazeres, muda e surda diante da realidade do mundo que a cerca, preocupada apenas em ser feliz.

Subitamente, enxerguei aquela casa com outros olhos e tive nojo dela. Lá, eu só pensava em mim, esquecendo-me de todo o resto. Lá, eu era o protagonista da minha vida.

- E o andar de cima, o que é? - Perguntei, ansioso por entender toda aquela Verdade tremenda.

Jesus sorriu mais uma vez, e disse em tom brincalhão:

- Você está indo rápido demais. Ainda preciso te explicar sobre os livros, a comida, as fotografias, o silêncio, a escada e o cadeado da casa. Ainda temos muito assunto pela frente, Arthur. Apenas relaxe, escute e permita-se ser transformado...

CONTINUA...

Até o Último Suspiro


"Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa"
João 19:26,27

A hora do Fim estava chegando.

Jesus sentia dores insuportáveis, seu peito arfava, suas mãos e pés pareciam prestes a explodir.

Num derradeiro esforço, ele olha para baixo e vê João e Maria aos pés da Cruz. Seu amigo e sua mãe.

Ele olha para Maria e se lembra da mulher que o amamentou, que lhe deu comida na boca, que o ensinou boas maneiras, que arrumou sua cama e lavou suas roupas.

Jesus a ama e pensa em qual seria o seu futuro. Aquela mulher recebera de Deus uma grande missão e toda grande missão traz consigo grandes consequências.

Honrando a mulher que amava, Jesus pede a João que o substitua como filho e cuide da já cansada Maria.

- Mulher, eis aí teu filho. Filho, eis aí a tua mãe.

"Cuide dela, João", quis dizer o Mestre.

Jesus expressou seu amor por Maria cuidando dela até a morte.

Ele poderia ter dito "Eu te amo"
Ele poderia ter deixado um bilhete de amor.
Ele poderia tê-la abraçado na quinta-feira.

Mas Ele preferiu cuidar e nos ensinou um amor que não se baseia em palavras, presentes ou meros afagos.

O Amor de Jesus (por Maria e por nós) se baseava em Atitudes.

"Quem ama, cuida!", nos ensina Cristo.

Bem, você sabe que chegou a hora das perguntas, não é?



Como você tem cuidado daqueles que ama?

Em que seu amor tem se baseado? Palavras ou Atitudes?

Você tem protegido seus amados como Jesus protegeu os d'Ele?

O Post de hoje é um chamado ao Amor Cuidadoso!

Que tal se hoje você se preocupasse menos com você e mais com sua Metade e sua família?

Que tal se hoje você falasse menos e agisse mais?

Não estou falando de buquês de rosas e caixas de bombons, mas de cuidado, zelo, proteção...

"Estou com você..."
"Conte comigo..."
"Acredito em você..."

Essas são boas frases para o dia de hoje, não acha?

Cuide dos mais velhos, eles já fizeram muito para você.
Cuide de seus amigos, você sempre precisará deles.
Cuide da sua Metade, pois ele(a) foi a Jóia mais Preciosa que Deus separou para você.
Cuide de seus irmãos em Cristo, pois a Igreja é d'Ele.

Ame como Jesus!

Que seu Amor não seja reconhecido por suas palavras, mas sim por suas atitudes.

Nem mesmo as dores da Cruz impediram Jesus de amar!

Que, assim como Ele o fez, você ame até seu último suspiro...

27 de maio de 2011

Mãos Sujas

"Então, Pilatos, tomando água, lavou as mãos diante da multidão, dizendo: Estou inocente do sangue deste justo."
Mateus 27:24

Ele sabia o que deveria fazer...

Ele sabia o que era certo...

Ele sentia seu coração guiando-o...

Ele chamou a Jesus de "justo", reconhecendo-O como tal...

Ele deveria ter feito alguma coisa...

Mas ele não o fez.

Escondendo-se de Deus e de sua própria alma, ele preferiu enxaguar as mãos.

Pilatos.

O homem mais omisso do Evangelho.

Ele poderia ter libertado a Jesus a qualquer momento.

Em seu interrogatório, ele percebeu que Jesus não havia cometido crime algum.

Ele sabia ter nas mãos um homem inocente.

Deus, o Maestro daquela sexta-feira, utilizou-se da sua covardia para cumprir o seu Propósito: A Cruz.

Pilatos, porém, permanece como exemplo daqueles que ouvem as vozes erradas.

"O que meus superiores pensarão de mim se eu o soltar?", dizia-lhe a Ganância.

"Mas ele é inocente!", dizia-lhe o Amor.

"E quanto ao povo, haverá uma revolta se eu o soltar!", afirmava-lhe o Medo.

Acuado entre saber o que é errado, mas temer fazer o certo, Pilatos resolve não fazer nada.

"Lavo as minhas mãos! Sou inocente do sangue deste homem! Eu disse que ele era inocente!"

Omissão. Saber o que é certo, mas não fazê-lo.
Omissão. Fingir a si mesmo que fez o que poderia ter feito.
Omissão. Ter as mãos mais limpas do que a alma.

Creio que Jesus o encarava com pena, enquanto o via lavando as mãos, pensando que assim estava lavando a alma.

E creio que ele olha até hoje da mesma maneira para muitos de nós.



Há um Pilatos escondido em nosso coração.

Pilatos foi um "cristão" covarde, que preferiu não se comprometer.

Pilatos preferiu ficar "bem na fita" a fazer a vontade de Deus.

Pilatos preferiu continuar como estava a correr o risco de perder sua posição.

Notou nossas semelhanças com ele?

Quantas vezes lavamos as mãos quando deveríamos agir?

Lavo as mãos pela fome do mendigo da calçada. Não posso fazer nada.
Lavo as mãos pelo maltrapilho que entrou na igreja. Não tenho nada a ver com isso.
Lavo as mãos pelo menino quieto e isolado da minha sala de aula. Nem o conheço!
Lavo as mãos pela moça da padaria com olhar triste. Não tenho intimidade com ela.

Almas clamando por salvação enquanto você olha para as próprias unhas.

Pilatos representa aqueles que sabem muito, mas fazem pouco.

Pilatos representa aqueles que ouvem a voz de Deus ("faça isso!"), mas preferem não atendê-la.

As mãos limpas de Pilatos, porém, não limparam o seu pecado. Sua "Paz Interior" não eximiu a sua culpa. Sua omissão estampou sua covardia.

Apesar da água, as mãos de Pilatos estavam sujas.

E as nossas talvez estejam...

Quer uma vida "tranquila"? Seja como Pilatos.

Quer uma vida eterna? Seja como Jesus.

A escolha é sua. E então, o que vai ser?

As mãos ou a alma?

NÃO PERCAM O TEXTO ABAIXO! DEUS FALARÁ COM VOCÊ AO LONGO DA SÉRIE!

O Andar de Cima - Parte 1

Nunca conseguirei descrever o que senti ao entrar naquela casa.

Tudo nela irradiava Paz, Amor, Perfeição. Cada cantinho dela me trazia Segurança.

Comecei a percorrê-la lentamente, apreciando cada detalhe, e percebi que a casa não era luxuosa, mas parecia ter tudo que uma casa deveria ter. Aliás, parecia ter sido feita sob medida para mim.

A sensação de segurança me acompanhava enquanto eu explorava cada cômodo. Deparei-me com uma sala com poltronas bonitas e aparentemente confortáveis, de frente para uma lareira. O que mais me chamou a atenção, porém, foram os livros. Havia uma parede repleta de prateleiras com meus livros preferidos!

Ah, eu poderia passar uma eternidade naquela sala! Resolvi, antes disso, porém, conhecer o restante da casa.

Encontrei uma cozinha, onde aromas de uma comida deliciosa despendiam-se das panelas. Sem conseguir conter minha curiosidade, abri a geladeira e o que avistei fez meu coração parar por um instante: Ela estava recheada com meus pratos prediletos!

Continuei a andar pelos cômodos, encantado com aquela exploração. Percebi que a casa não tinha janelas, mas era dominada por um aconchegante friozinho que me refrescava a alma. Além disso, seu silêncio era acolhedor.

Olhei para uma das paredes e não consegui sufocar um grito.

- Oh, meu Deus! – Exclamei.

A parede estava tomada de belíssimos porta-retratos e as fotografias neles contidas me deram uma certeza: Aquela casa havia sido construída para mim!

Havia uma foto do dia em que nasci, uma foto de meus natais em família, a foto do dia em que aceitei a Jesus, outra (linda!) do dia em conheci Helen, uma do dia em que criei o Blog, e muitas outras, todas retratando dias maravilhosos.

Não sei quanto tempo passei olhando para aquelas fotografias, mas fui possuído por um encantamento por quem havia construído aquela casa.

“Nossa, esse construtor fotografou todas as minhas vitórias! Que atitude tão amorosa foi reuni-las neste mural!”, pensei.



Eu ainda sorria, quando, subitamente, uma Voz interrompeu meus pensamentos:

- Arthur, venha aqui. - A Voz disse.

A Voz parecia vir de cima e pela primeira vez notei que havia uma pequena escada, na parede oposta, que levava a um andar superior.

A Voz era calorosa e gentil e eu me virei em direção à escada.

Surpreendentemente, porém, notei que a escada destoava completamente do restante da casa. A escada parecia em ruínas, exalava um cheiro ruim e cada degrau parecia anunciar uma tragédia. Nada belo nem convidativo.

Decidi que não iria subi-la, preferia permanecer naquela casa maravilhosa. Ora, se o andar de baixo era lindo e me bastava, por que eu me arriscaria a conhecer o que havia em cima?!

Resolvi voltar para a sala e ler um bom livro, quando ouvi A Voz novamente.

- Arthur, estou te esperando. Venha...

Parei, por um instante, refletindo em minhas opções.

Permanecer ali embaixo, naquele espaço maravilhoso, parecia ser a coisa certa a fazer. Além disso, aquela escada tinha uma péssima aparência e...

Por outro lado, porém, tinha que admitir que A Voz mexia comigo. Uma Voz amiga, saudosa, amável, quase irresistível.

“Se A Voz me chamar de novo, eu vou...”, pensei comigo mesmo, enquanto me dirigia de volta à sala.

Foi como se A Voz pudesse ler meus pensamentos, pois uma fração de segundo depois, ouvi:

- Arthur, não tenha medo. Suba até aqui!

Parei e, resignado, subi a escada lentamente. Eram menos de dez degraus, mas a jornada me pareceu interminável. A cada levantar de pés, me sentia mais distante da Paz da "minha" casa.

A escada terminava ante uma porta de ferro, com um grande cadeado na fechadura.

- Apenas abra a porta, Arthur. - Disse-me A Voz novamente. - Parece trancada, mas não está.

Puxei a porta e vi que A Voz tinha razão. O cadeado caiu aos meus pés e eu entrei.

Jamais conseguirei descrever com exatidão o que avistei lá...


CONTINUA...

Enquanto a Parte 2 não chega, reflita:

Quem construiu a casa?
Quem é A Voz?

Aguarde por um final abençoador, transformador e inspirador!

26 de maio de 2011

O Companheiro


"Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado."

Hebreus 4:15

Lembro-me dos dias (nem tão distantes) em que eu corria para a cozinha, em busca do meu almoço. Minha mãe já havia preparado meu prato e avisava:

 
"Não coma agora, a comida está muito quente!"

Sempre detestei a sensação de língua queimada, por isso sempre ouvi seu conselho.

Minha mãe tinha "conhecimento de causa", ou seja, tinha autoridade para afirmar que a comida estava quente, pois havia sido ela mesma que a fez.

A cozinheira sabe de tudo sobre a comida, afinal.

Esta é a mensagem que Hebreus 4:15 deixa para nós.



Assim como mamãe, Jesus sabe tudo que é "quente demais para nós" aqui nesta terra.
 
 
"Como nós, eu tudo foi tentado...", nos diz o versículo.
 
 
Que alívio! Consegue senti-lo? Muitos tem um Deus distante, nós temos um Deus Conosco.
 
 
Não é maravilhoso saber que Jesus passou por tudo que passamos?
 
 
Você está triste? Jesus também esteve após a morte de João Batista.
Você está angustiado? Jesus também ficou no Getsêmani.
Anda solitário? Todos os amigos de Jesus o abandonaram na Cruz.
Foi traído por alguém? Nem preciso falar de Judas, não é?
 
 
Não importa pelo que você esteja passando, Jesus, (assim como mamãe com a comida), tem autoridade para dizer: "Tenho conhecimento de causa, já passei por isso!"
 
 
O Post de hoje não te promete vitória, bênçãos ou medalhas. Oferece, porém, uma das Promessas mais Preciosas de Cristo: Sua Companhia.

Suas mãos enlaçando nossos ombros.
Seus dedos enxugando nossas lágrimas.
Seus braços nos carregando no colo.
O Mestre caminhando ao nosso lado.
 
 
"Eu já passei por isso, filho(a). Seja lá o que for, eu já passei por isso!"
 
 
Sua Companhia já seria maravilhosa o suficiente, mas Hebreus 4:15 se encerra com mais uma Verdade Transformadora: "... mas sem pecado".
 
 
Jesus passou por aqui e não pecou. Jesus conversou com o Diabo e voltou para nos contar como foi.
 
 
Sim, Ele passou por tudo. Mas não, nada o derrubou.
 
 
Ele não é um simples companheiro de jornada. Ele é AquEle que trilhou nosso caminho e VENCEU!
 
 
Companhia e Poder. Eis o que se ganha por caminhar com o Mestre.
 
 
Dica de hoje: Deixe-O andar ao seu lado e confie em Seu Poder.
 
 
Ele tem conhecimento de causa e vai "esfriar a comida" quando ela estiver quente demais para você...

Mentalidade de Enterro

"Mas o que recebera um foi, e cavou na terra, e escondeu o dinheiro do seu senhor."

Mateus 25:18

Um senhor ia viajar e resolveu deixar algum dinheiro guardado com seus empregados.

A um deles, deu 5 moedas (chamadas Talentos), a outro deu 2 e ao terceiro deu 1.

Algum tempo depois, voltando de sua viagem, o senhor veio buscar seu dinheiro.

O primeiro empregado sorriu satisfeito e entregou-lhe 10 Talentos. Havia dobrado o seu dinheiro.

O segundo, igualmente feliz, lhe entregou 4 Talentos. Também havia conseguido um lucro de 100%.

Ambos foram elogiados pelo chefe: "Servos bons e fiéis! Foram fiéis no pouco e sobre o muito os colocarei!"

Quando o chefe, porém, se virou para o terceiro empregado, este estava ciscando o chão com o pé e de cabeça baixa.

- Se-se-senhor, - Ele gaguejou. - Sei que o senhor é um homem rígido e tive medo de perder seu dinheiro. Por isso, o enterrei para guardá-lo. Aqui está seu Talento.

Não ousou arriscar, pois teve medo de perder.

Consegue perceber a diferença de mentalidade entre estes servos?

Dois investiram o que tinham nas mãos, multiplicaram suas posses e agradaram ao seu senhor.

O outro, porém, preferiu garantir o que já tinha, enterrando-o na terra.

Dois receberam elogios, um recebeu críticas.

Dois multiplicaram fronteiras, um permaneceu estacionado onde estava.

Posso perguntar que tipo de servo você tem sido?



Deus, o seu Senhor, tem te confiado coisas muito mais preciosas do que moedas. De que maneira você as tem administrado?

Deus te confiou um dom, seja ele o de pregar, escrever, cantar, etc... O que você tem feito com ele? Espalhado ou enterrado?

Deus te confiou uma família. Sim, eles têm defeitos, mas o que você tem feito com os que te amam? Ajudado ou enterrado?

Deus te confiou sonhos. Talvez eles sejam difíceis de se realizar, mas o que você tem feito para concretizá-los? Trabalhado ou enterrado?

"Mentalidade de Enterro". Gostou do termo? É como eu gosto de chamar o "terceiro empregado" que há dentro de nós.

A voz do medo.
A voz do conservadorismo.
A voz da avareza.

Mentalidade de Enterro é a lógica que diz: "Mais vale um passarinho na mão, do que dois voando! Não se arrisque, pare por aí!"

A Mentalidade de Enterro atacou Noé, mas ele preferiu construir um barco gigantesco, acreditando que choveria.

A Mentalidade de Enterro atacou Abraão, mas ele preferiu abandonar tudo e ir para uma terra que não conhecia.

A Mentalidade de Enterro atacou Moisés, mas ele decidiu estender sua vara, crendo que o mar se abriria.

A mesma Mentalidade ainda atacou Jesus, mas ele decidiu ir à Cruz por você.

A Bíblia teria somente páginas em branco se todos tivessem "enterrado seus talentos".

Deus hoje te oferece uma e pede que você desenterre o seu.

Antes de desenterrar seus talentos, porém, você talvez precise se desenterrar.

Enterrado em horas de trabalho e estudo.
Enterrado na própria preguiça.
Enterrado na depressão.
Enterrado na sua visão limitada do mundo.
Enterrado pelo descrédito oferecido pela família.

Será que algum destes quadros é o seu?

É chegado o dia de ir além. Além da "Fé de Culto", chegando À "Fé Ousada"

Semeie e Deus multiplicará suas sementes! Semeie libertação, harmonia, alegria...

Escreva seu livro, pregue para seus pais, ore em sala de aula, distribua panfletos na rua, cante, dance, invista naquilo que Deus te deu!

A mesma Fé dos homens que escreveram a Bíblia ainda está disponível a você.

A mesma Fé do seu Salvador, que investiu toda a Santidade que possuía para nos salvar, também está ao seu alcance.

Portanto, pegue a "Pá da Coragem" e desenterre seu Talento. Ele é precioso demais para ficar embaixo da terra...

25 de maio de 2011

Do Túmulo Para o Jantar


"... e foram, não só por causa de Jesus, mas também para ver a Lázaro, a quem ressuscitara dos mortos. Porque muitos dos judeus, por causa dele, iam e criam em Jesus."
João 12:9,11

Olhe para a mesa de jantar. Veja quanto rostos alegres!

Eles acabaram de pregar, vidas foram salvas, e agora compartilham uma refeição.

Jesus conta histórias, ri, abraça. O Mestre costuma atrair todos os olhares, mas desta vez muitos também olhavam para Lázaro.

Consigo imaginar os dois, abraçados, e Lázaro falando:

"Estive quadro dias morto, irmãos! Mas este homem me ressuscitou! Creiam no Messias!"

E, segundo a Bíblia, "muitos dos judeus, por causa dele, iam e criam em Jesus".

Como não creriam? Ali estava a prova viva do Poder de Deus! Lázaro estava diante deles para contar a história.

Repare, porém, uma coisa: Para falar sobre vida, Lázaro teve que morrer.

Para iluminar o caminho de muitos, Lázaro teve que enfrentar as trevas.

Para que pessoas abrissem os olhos, Lázaro teve que fechar os seus.

Os quatro dias na sepultura foram um preço alto, mas obtiveram um retorno mais alto ainda.

A Bíblia honra a Lázaro, frisando que "por causa dele" criam em Jesus.

Lázaro se utilizou da maior tragédia de sua vida (morrer!) para falar sobre o Autor da Vida.

Deus hoje nos promete que faremos o mesmo!



Hoje, enquanto lê estas palavras, você pode estar numa "sepultura", assim como Lázaro estava. Sei que seu corpo está vivo, mas sua alma pode estar morta.

Alguns, talvez, diriam que este é um dos piores momentos de suas vidas, não é?

Desanimados com o futuro.
Encarando portas fechadas.
Lutando contra enfermidades.
Desentedimentos em casa.

Qual tem sido sua sepultura?

Lázaro passou quatro dias em uma, mas foi tirado de lá por Cristo para que pudesse contar a história.

Ele fará o mesmo por você!

Suas "sepulturas" serão usadas por Deus na vida de outras pessoas!

Venha cá e espie comigo o seu "jantar". O dia em que, abraçado a Jesus, "muitos crerão por sua causa":

Olhe lá você, que até agora nunca namorou, de mãos dadas com seu esposo(a), dando conselho a jovens da sua idade...

Veja agora, você, que já teve que trocar de faculdade, contando a todos sobre a brilhante carreira que Deus te deu...

E, olhe, lá está você, percorrendo hospitais e falando do dia em que Deus te curou...

Lázaro saiu do túmulo e dias depois estava pregando e jantando com Jesus. Prepare-se para o mesmo!

Suas piores lutas serão seus melhores testemunhos!

Deus tem permitido sua estada nos túmulos da vida porque sabe que, por sua causa, muitos crerão n'Ele!

Existe honra maior do que essa? Ter a vida usada por Deus?

Deus quer transformar vítimas em conselheiros, derrotados em vitoriosos, desacreditados em exemplos, mortos em vivos!

Anime-se, Lázaro! Você ainda vai jantar com o Mestre e rir dos dias em que você passou na sepultura!

Não sei se ele fez isso, mas se eu fosse Lázaro, pegaria a pedra que guardava o meu sepulcro e a guardaria no meu quintal. Olharia para ela e pensaria sempre:

"Jesus me livrou de lá!"

Faça o mesmo.

As pedras que travam o seu caminho hoje serão as pedras de seu testemunho de amanhã! Prepare-se para sair do Túmulo para o Jantar!